Histórico

Na noite do dia 20 de outubro, vinte e dois professores, naquela época, dos melhores colégios de Salvador, reuniram-se no antigo restaurante Café do Teatro, no bairro do Canela, para discutirem a viabilidade e o interesse em fundarem um novo colégio, por não aceitarem a nova sistemática de ensino da 3ª série do EM (antigo 3º colegial com pré-vestibular), planejada e imposta pelos seus diretores. Tais mudanças, na visão dos professores, trariam sérios prejuízos para o bom nível de ensino daqueles colégios.

Naquela reunião, tomaram conhecimento, através do Prof. Antonio Jorge de Almeida Santos, de que a Escola de Educação Fundamental, situada na Rua Odilon Santos, no bairro do Rio Vermelho, alugaria seu prédio para que lá fossem instalados os cursos do ensino médio (antigo curso colegial), em suas dependências, no turno da tarde.

Democraticamente, o Prof. Antonio Jorge ofereceu a todos os presentes a possibilidade de serem sócios e/ou professores do colégio que iria ser fundado. O primeiro a se pronunciar foi o Professor Cícero Pessoa da Silva, que fez sua opção para ser apenas professor do novo colégio, no que foi seguido por todos os demais, à exceção dos Professores Jorge Luiz de Almeida Santos e João Augusto Bamberg Conrado que, além de se manifestarem interessados em ser professores, também demonstraram interesse em serem sócios.

No dia seguinte ao da reunião, foi oficializado o nome do novo estabelecimento: COLÉGIO ANCHIETA, sugerido pelo Prof. Waldir Freitas de Oliveira. Tomando o Padre José de Anchieta como patrono, o Colégio acabava de se definir como um colégio cristão, segundo parecer do Prof. Cícero Pessoa.  

No dia 1º de março, em suas oito salas do atual ensino médio (antiga 1ª à 3ª série do 2º grau com pré-vestibular), com sua lotação completa, os professores, emocionados, começaram a lecionar, cheios do desejo de que o novo colégio superasse aqueles nos quais eles haviam deixado de lecionar. O grande desafio foi vitorioso: ao fim de um ano letivo, nos vestibulares de janeiro de 1983, o Anchieta conseguiu recorde nos índices de aprovações e isso fez crescer, nos anos seguintes, rapidamente, o número de alunos matriculados.

Foi realizada a 1ª Gincana Interna do Colégio Anchieta, atividade pedagógica de integração e desenvolvimento ético-estético, envolvendo todos os alunos do Colégio. 

A antiga sede, no Rio Vermelho, tornou-se pequena e o Anchieta passou para uma nova sede, na Avenida Visconde de Itaboraí, no 97/99 – Amaralina. O Prof. Cícero Pessoa da Silva foi escolhido pela Entidade Mantenedora, com aceitação unânime dos professores e técnicos, como o novo Diretor Geral do Colégio Anchieta, assumindo o cargo a partir de 1983. Nasce o Anchietinha. A Entidade Mantenedora do Colégio Anchieta implantou o 1º grau (atual ensino fundamental), da 1ª à 4ª série, completando assim o seu quadro de séries. O Anchietinha obteve pleno êxito do ponto de vista didático-pedagógico, mas sofria carências por falta de uma sede mais condizente com a faixa etária dos alunos. A partir desse ano, dá-se início à celebração da 1ª Eucaristia de alunos da 5ª série, na Igreja de Santana, no Rio vermelho. 
As atividades transcorreram normalmente e o Anchieta pôde comemorar seu primeiro qüinqüênio, com o melhor conceito educacional entre os grandes colégios do Brasil, com mais de 1.300 alunos matriculados.

Iniciaram-se as solenidades de encerramento do curso, para os alunos concluintes, com Missa na Basílica de Nosso Senhor do Bonfim e a festa dos pré-vestibulandos no Clube Bahiano de Tênis.

Surge a publicação do boletim Formação-Informação, em forma de livro-caderno, com edições anuais distribuídas aos alunos, professores e funcionários no início de cada ano letivo 
Reflexo do Plano Cruzado – Ano difícil. Alguns bons colégios de Salvador não suportaram as mudanças trazidas pela nova ordem na economia do país e fecharam suas portas. O Anchieta não ficou imune. Embora sua estrutura tenha-se mantido inalterada, o Anchietinha não suportou a diferença entre o preço imposto pelo governo e o seu custo operacional, conseqüência da sua qualidade de ensino.
Para o sonho e orgulho do Anchieta, um forte golpe: o Anchietinha encerrou suas atividades, temporariamente, mas o Prof. Cícero Pessoa e a Entidade Mantenedora do Colégio mantiveram algumas professoras no colégio, lecionando na 5ª série do atual ensino fundamental ou exercendo funções técnicas, entre elas, a Profª. Maria do Socorro Mota da Silva Santos, atual diretora do Anchietinha. 
O Anchieta retomou seu crescimento em estrutura física e pedagógica, dando nova roupagem à Biblioteca e ao Laboratório de Ciências e construindo mais quatro salas de aula.

O Prof. Cícero Pessoa, que lecionava Português aos pré-vestibulandos, deixou a sala de aula e passou a ser exclusivamente o Diretor Geral do Colégio. Também os professores Antonio Jorge e João Bamberg deixaram de lecionar, passando a cuidar somente de atividades de Direção. 
Seus computadores de “última geração” CP–500 ocupavam uma pequena sala capaz de atender a doze alunos por vez. Era o começo. O pioneirismo do Anchieta serviu de destaque, inclusive com noticiário no Jornal A Tarde e na revista VEJA.

Realizaram-se a 1ª Feira do Livro, que contou, entre outras presenças, com a do grande compositor Gilberto Gil e do escritor Fraga Lima, e o 1º Festival Artístico de Redação, com a participação dos alunos da 1ª série do ensino médio (antiga 1ª série do 2º grau).

A 1ª Eucaristia de alunos da 5ª série passa a ser realizada na Igreja de N. Sr.a da Luz, na Pituba. 
Reforça-se mais a estrutura didático-pedagógica do Colégio Anchieta, procurando-se dar mais ênfase aos encontros de informação e às excursões pedagógicas e formativas.

Os alunos do Colégio, sempre muito politizados, participam de vários debates políticos, visando à formação da cidadania. Nos esportes, a equipe Anchieta de Futebol de Salão sagrou-se Campeã da 1ª Copa Interescolar, promovida pela SUDESB.

Nossa Profª. Neide Teixeira, como primeira mulher a ser técnica de uma equipe masculina de Futebol de Salão, ficou famosa e o fato foi noticiado na revista Placar, com divulgação nacional. 
O Anchieta fez 10 anos: um ano inteiro de eventos comemorativos do primeiro decênio de atividades escolares. O Colégio ampliou as instalações, com a construção de mais quatro salas de aula e reforma das salas da Secretaria e dos professores. 
Foi criado o Curso Anchieta de Inglês. Um curso com toda estrutura dos melhores cursinhos de Salvador, com salas especiais dotadas de videocassete e televisor. 
Foi construído um prédio de apoio, em frente ao Colégio. Esse prédio passou a abrigar a gráfica, o almoxarifado, o refeitório e uma sala de descanso para funcionários. 
O sonho se realiza novamente. O Anchietinha voltou a funcionar, agora, na Rua Érico Veríssimo, no 292 – Itaigara, sob a direção da Prof.a Célia Dourado e, em seguida, da Prof.a Maria do Socorro Mota S. Santos. Em uma estrutura física condizente com o que se esperava de uma escola de ensino fundamental (antigo 1º grau - 1ª à 4ª série) e mais a 5ª série, nos dois turnos. Além das disciplinas obrigatórias, o Anchietinha já começou oferecendo os cursos de inglês, informática, formação e música, inseridos no currículo escolar. 
O Anchieta - Amaralina também ganhou “roupa nova” – melhoria das salas dos Professores, de Informática, de Ginástica, da Recepção, e um Auditório para 140 lugares, totalmente aparelhado. 
Aniversário de 15 anos – O Colégio não poderia começar melhor o ano da festa do seu aniversário. Novo recorde em aprovações nos vestibulares do país. Muitos alunos conseguiram grandes colocações. Foram onze primeiros e nove segundos lugares, sem contar com os terceiros, quartos etc.

Eventos comemorativos, Missa e Culto Batista em Ação de Graças, disputas esportivas, apresentações artísticas e uma Gincana Assistencial que ofereceu muitos alimentos a várias instituições. 
Foi criado o site www.colegioanchieta-ba.com.br, atual Portal Anchieta, na Internet. Foi criado o LIVRO DO ANO, com fotos e textos de eventos e atividades pedagógicas ocorridos durante o ano letivo. Um verdadeiro álbum de família, em que se registram fatos marcantes e momentos afetivos. O Colégio fez uma homenagem ao poeta Castro Alves, com o concurso “150 anos de nascimento de Castro Alves”, lançando, em outubro, um livro antológico escrito pelos alunos: “Poemas em Louvor a Castro Alves”. Grandes homenagens foram prestadas ao Padre Anchieta pelo primeiro centenário de seu falecimento. No dia 09 de junho, o Colégio celebrou Missa campal e, com emoção, o pátio se encheu de pais de alunos, professores e alunos. O Prof. Cícero Pessoa, à frente da comemoração, publicou um Informativo Especial com fotos dos eventos realizados e com textos relativos à obra e à vida do Patrono do Colégio. 
Foi criado o CORAL ANCHIETA, representado pelo coro jovem, com pequenos cantores, coralistas de idade entre sete e dez anos, e com a participação especial de alguns ex-alunos e professores, regido pelo Maestro Alcides Lisboa Filho.

Também neste ano, foi criado o PROSA – Programa de Satisfação no Anchieta, um instrumento de pesquisa capaz de identificar problemas e apontar soluções para o crescimento e a melhoria da instituição, em relação à estrutura física, pessoal e de serviços. Aplicado a cada dois anos à comunidade Anchieta (alunos, pais, professores e demais funcionários), o PROSA é uma ferramenta gerencial de grande importância para a avaliação institucional. 
O Anchieta atinge sua maioridade, completando 18 anos, com um dia repleto de homenagens para celebrar a nova idade. 
O Colégio Anchieta escolheu o Dia Mundial da Poesia, para dar inicio ao Movimento de Incentivo à Leitura – MIL. As comemorações foram realizadas no pátio do Colégio, em uma tarde de recital de poesias de grandes poetas como Castro Alves, Manoel Bandeira, João Cabral de Melo Neto, Cecília Meireles e Vinícius de Moraes. 
Os vinte anos de atividades foram comemorados com três eventos: uma Missa, um culto e um almoço de confraternização. Construir e fazer funcionar a nova sede do Anchieta, na Pituba, foi o fato mais concreto das comemorações. 
TOP OF MIND – Escola Comprometida com a preparação eficiente dos alunos. Uma grande conquista. O Colégio entra para a lista dos mais lembrados da Bahia. Neste ano, o Anchieta teve um reencontro inesquecível. Ainda na sede de Amaralina, a turma de 1982 - os primeiros a concluírem o curso no Colégio, se reuniram em um dia de grandes recordações. No mesmo ano, houve o “Lembra de mim?”. A festa, que marcou o 1º Encontro de Ex-alunos do Colégio, reuniu ex-colegas e amigos que puderam assistir a vídeos e ver fotos, recordando os bons tempos. 
A nova sede do Anchieta, na Praça Padre Anchieta, no 126, Pituba, é inaugurada. Um marco assinalador do nosso orgulho do passado e dos nossos objetivos realizadores previstos para o futuro. A nova sede veio aliar a renomada qualidade de ensino do nosso Colégio às adequadas e modernas instalações desejadas pela comunidade anchietense, desde a implantação do PROSA. A nova sede do Anchieta, na Pituba, concretiza um sonho de muitos anos: uma escola que se completa em instalações para ampliar os serviços que presta à Educação. 
A adoção da Convivência Social e da Educação Ambiental como Eixos Temáticos.

Os alunos se destacam, cada vez mais, nos esportes, na música, em competições, nos concursos e nas Olimpíadas de Matemática, Física e Química, ganhando diversas medalhas.

São criadas as OFICINAS DE MÚSICA, com salas equipadas e profissionais qualificados, para que os alunos possam desenvolver suas habilidades.
Novo Diretor – Após 22 anos dirigindo o Colégio Anchieta, o Prof. Cícero Pessoa da Silva afasta-se do cargo de Diretor Geral, passando a exercer o cargo de Presidente do Conselho Técnico-Pedagógico, sendo substituído pelo Vice-diretor, Prof. João Batista de Souza. Com alta tecnologia, associada a uma infra-estrutura de alta qualidade, buscando trazer e incentivar a cultura para a comunidade foi inaugurado o TEATRO ANCHIETA. A programação contou com a participação do Coral Anchieta, do violonista Mario Ulloa, do grupo de dança da EBATECA ITAIGARA e da peça teatral dos alunos da 8ª série do EF, que marcaram, com suas apresentações, uma nova etapa na história do Colégio Anchieta. Não parando de investir em tecnologia, o Anchieta disponibiliza para seus professores e alunos a LOUSA ELETRÔNICA, a ILHA de EDIÇÃO ELETRÔNICA e o LABORATÓRIO de ROBÓTICA, dentre outras ferramentas didático-pedagógicas. São inauguradas as duas Vitrines Literárias “Cícero Pessoa”, nas Bibliotecas das sedes da Pituba e do Itaigara. 
Nova sede. No mês de outubro, o Colégio Anchieta iniciou entendimentos com as Diretoras da Escola Cores e Letras, situada na Rua Clara Nunes, no Loteamento Aquarius -Pituba, para transformá-la em mais uma sede do Colégio Anchieta, culminando com a fundação, no dia 07 de dezembro, de mais um ANCHIETINHA. 
No ano de 2010, o ANCHIETINHA - Itaigara ampliou as suas instalações para receber os cursos da Educação Infantil, destinados a crianças do Grupo 4 (4 anos) e Grupo 5 (5 anos). É a qualidade e tradição do ensino fundamental da sede Itaigara, também para crianças dessa faixa etária. 
Em janeiro de 2010, o Colégio Anchieta concluiu as negociações para a aquisição do Colégio São Paulo, firmando um compromisso de continuar com a missão do São Paulo, de educar os jovens de nosso país. Cada Instituição manterá sua filosofia de ensino, somando a qualidade na formação de cidadãos para o mercado, do Anchieta, com a formação humanista do São Paulo. Assim, os alunos do Colégio São Paulo garantem a melhor formação. 

Agenda Veja mais+

4  JUL Reunião de Pais - 4° ano EF

4  JUL Reunião de Pais - 5° ano EF

5  JUL Reunião de Pais - 3° ano EF

6  JUL MIL- Movimento de Incentivo à Leitura

6  JUL Visita Técnica à Ruy Barbosa e Área 1